Arquivo da tag: segredos para uma vida longa

COMO MANTER A SAÚDE SENDO VEGETARIANO E VEGANO

Vamos guardar a energia para mais um tema polêmico. Na verdade, quando a gente fala de alimentação é tudo muito polêmico. – Por que? Porque como eu sempre falo para vocês, não conseguimos encontrar conceitos que sejam consensuais. E não é diferente quando a gente vai falar de dieta vegetariana e dieta vegana, o estilo de vida vegano e vegetariano. Existem os defensores contra e os defensores a favor.
Vou ser bem isento para vocês aqui em afirmar de que na ciência não há possibilidade de dizer que é certo ou errado. A tendência é que seja muito mais difícil a gente adaptar uma alimentação vegetariana e vegana não no conceito da biologia, dos seres humanos que viviam no passado, é mais fácil inclusive, mas no paradigma das pessoas que vivem hoje. Por que eu digo isso para vocês? Porque hoje a alimentação está muito industrializada e um grande erro que aconteceu nessa passagem dos primeiros vegetarianos e veganos do mundo moderno foi o excesso de ingestão de industrializados.
Uma pessoa que se tornava vegetariana parava de comer carne ou 100% ou mantinha o ovo né O vegano é aquele que não come nada de fonte animal e o vegetariano aceita algumas fontes animais. Têm até o vegetariano modificado que até ingere peixes, mas o vegetariano mesmo ingeriria queijos, leite e ovos. E o que acontecia com essas pessoas, deixavam de ingerir alimentos e passavam a se alimentar de excessos de grãos, de arroz e tal e excesso de farinhas, de farináceos.
E aí é certeza de que isso não é saudável, certeza absoluta porque na falta da carne a pessoa acaba se atirando mais nesses alimentos. Falando no correto assim do vegetariano e do vegano saudável e também trazendo à tona que os outros aqueles que ingerem carne e que não são excessos, então o saudável que ingere carnes é “pau a pau,” ou seja, ambos podem ter saúde plena tranquilamente desde que consigam ter o equilíbrio nas suas dietas, nos seus estilos alimentares, então é possível tranquilamente.
Se a gente for comparar sim aquele que é saudável comendo carne, vamos pegar aquele que come muito bem comendo carne e aquele que come muito bem comendo numa dieta vegana, nós temos algumas dificuldades extras na dieta vegana que seriam alguns micronutrientes e aí o mais conhecido é a vitamina B12 que já seria um pouco difícil de conseguir bons estoques para o corpo e aí a aventamos a possibilidade de que essas pessoas necessitariam de uma suplementação.
Pensando assim de forma fisiológica, um pouco mais fria, isso me traz uma informação, um dado importante. Talvez o vegano ele tenha uma dificuldade maior de ter saúde né comparando àqueles que comem adequadamente. Agora, dá para ter saúde tranquilamente desde que principalmente além do equilíbrio pensemos especificamente em alguns nutrientes que podem ficar aquém no corpo daqueles que deveriam ter. Alguns aminoácidos, a vitamina B12, o ômega-3.
Tem muita gente que não consegue aproveitar o ômega-3 vindo da gordura vegetal. Mesmo a linhaça, a chia, enfim, é difícil a gente conseguir, o mais fácil seria conseguir esses estoques através de gorduras animais, seja do ovo, mas principalmente dos peixes né e o ômega-3 é um nutriente essencial à vida, não existe vida sem a ingestão, não é produção a gente consegue produzir, tem que ingerir ômega-3 mas não vou me aprofundar nesse tema vou falar que dá pra ser saudável tranquilamente com os três tipos de alimentação mas hoje eu vou falar sobre o vegetarianismo e veganismo.
Vamos aqui aos fatos, mesmo no veganismo, o vegano tendo um pouquinho mais de dificuldade no controle de alguns micronutrientes, não posso afirmar que vão faltar esses nutrientes e muito menos que essa pessoa não vai ter saúde. Aliás eu penso que se a pessoa conseguir ser feliz fazendo a dieta dela e ter um bom equilíbrio, independente da escolha da dieta essa pessoa tem mais chance ainda de ter saúde porque o fator de estresse ele vai diminuir. Por que eu falei isso?
Porque existe muito vegano que é ativista e eu concordo que tem que defender seus ideais, mas que se torna uma pessoa extremamente estressada porque não consegue aceitar as escolhas dos outros. É como se eu médico Victor eu fico estressado quando enxergo alguém tomando refrigerante eu acho que é totalmente contra ou então fumando cigarro, mas eu não posso pegar e fazer com que isso se transforme num rancor da minha vida eu vou lá xingar essas pessoas e incomodar essas pessoas.
Cada um tem as suas escolhas, né. Eu sei que dentro do vegano existe o conceito de não aceitar que um ser vivo agrida ou abata de forma ruim e a gente sabe que os abates são uma parte triste na ingestão de carnes. Infelizmente eu posso dizer para vocês assim que de um ponto de vista médico não há afirmação nenhuma de que um ou outro possa ser mais saudável. Se a gente for enxergar as pessoas mais longevas inclusive, existem mais longevas sendo vegetarianas, veganas e aqueles que ingerem carnes.
Se eu for ver hoje, talvez porque o movimento vegano e vegetariano é um pouco mais recente que tomou mais corpo, a gente tem obviamente mais longevos ingerindo a proteína animal, não em excesso, em menor quantidade, mas equilibrando com o resto da alimentação. O vegetariano já tem um pouco mais de facilidade de ter saúde porque ele aceita ingerir alguns produtos de ordem animal, eu poderia dar destaque ao ovo porque não dou destaque ao leite de vaca e aos produtos lácteos. Então o ovo é um alimento muito rico e poderia prover esses estoques, essas quantidades de vitamina B12, um pouco mais de ômega-3 enfim, de alguns elementos que são fundamentais à vida e à saúde.
Também não existem evidências que comprovem de que uma dieta que come carne causa mais câncer. Nós temos que começar com as falácias. Não existem, existem estudos que falam que sim e outros estudos que falam até o contrário. Esse vídeo é muito mais para desmistificar as coisas, não tenho como me aprofundar porque existem individualidades de cada pessoa, desmistificar essas falácias.
Não tem um mais saudável que o outro, tem os indivíduos mais saudáveis pelas escolhas que fazem, pelo equilíbrio entre os alimentos que fazem e determinados pelas suas individualidades. Tem gente que acaba por exemplo no aumento da ingestão de ovos trazendo para si uma inflamação pela proteína do ovo e sendo por exemplo o ovo a única fonte de proteínas e se a pessoa contar com isso às vezes ela não vai conseguir assimilar essas proteínas de maneira adequada e vai trazer transtornos inflamatórios pro corpo e alergênicos também.
Existem proteínas alergênicas dentro da carne de vaca, na carne de porco, dentro do peixe e aí o excesso acaba trazendo um potencial alergênico e inflamatório. Um dos recursos que eu utilizo pra uma pessoa que come carne é ficar algum tempo sem a proteína animal. Por que? Pra tentar dessensibilizar, então diminui drasticamente com a intenção de dessensibilizar as pessoas que comem demais, em demasia as carnes também e essas pessoas percebem grande melhora.
Isso não quer dizer que essa melhora consegue se perpetuar para a vida toda, mas algum período de oscilação seria muito interessante, assim como alguns vegetarianos um pouco mais abertos, eles aceitam assim “bom, a gente não está conseguindo melhorar, por isso e por aquilo, vamos ver se através de alguma suplementação ou então de alguma eventualidade de ingestão de alguma proteína como a de peixe, se a gente consegue equilibrar alguns sistemas do corpo”.
Então, eu acho que a inteligência está nas boas escolhas, em sermos felizes com as nossas escolhas desde que elas sejam saudáveis e a individualização. O fato hoje científico é que não é possível afirmar nem que uma alimentação vegetariana ou vegana ou então baseada em carnes, onívoros é o correto. O correto é o correto para cada pessoa e é o correto na individualidade, na felicidade da individualidade. Não tendo consenso nós precisamos distribuir melhor a alimentação no nível de distribuir melhor a alimentação do vegetariano e do vegano.
Dentro desses dados que eu passei aqui pra vocês, sem chegar à conclusão nenhuma. Por que? Porque não tem conclusão nenhuma a respeito disso. Eu como médico eu tenho o papel de falar para vocês sobre a possibilidade de ser saudável de várias formas. Eu quando recebo pacientes aqui ou onívoros ou vegetarianos ou veganos, eu consigo deixá-los a maioria em saúde de qualquer tática estratégia alimentar dentro dessas três e isso quer dizer que é possível ser saudável dessas três formas, tanto o vegetariano, o vegano, como o onívoro.
Encontramos esse conteúdo no Youtube

A CURA DA DEPRESSÃO ESTÁ NOS HÁBITOS – PARTE 1

Olá pessoal, hoje o nosso papo vai ser sobre depressão. A relação da depressão com a alimentação e a possibilidade de suplementos. Bom, é um tema muito profundo e é bem difícil conseguir estratificar o principal pra vocês de forma que vocês possam se entender um pouco melhor e não depender só de profissionais de saúde para gerenciar a saúde de vocês. A depressão na maioria das vezes, na maioria da vezes é um sintoma de algo que está acontecendo. É claro que existem as pessoas que tem a depressão por uma deficiência metabólica de produção real ou então de circulação da serotonina mas em grande parte dos casos é o sintoma de algo que aconteceu ou de um trauma que aconteceu ou de um mau hábito de vida ou então de situações agudas que podem gerar esse transtorno ruim e que acomete cada vez mas gente.

É por isso que se vocês entenderem que a depressão sendo algo que acomete cada vez mais pessoas, não pode ser algo que acontece de fato por problemas hereditários ou problemas genéticos ou problemas únicos do corpo da pessoa. É óbvio, fica simples a gente entender que algo que está aumentando demais é porque provavelmente o estilo de vida está provocando, fazendo, dando chances para que isso aumente nessas populações, nessas pessoas. Além disso nós temos um outro grande problema que é o excesso de diagnósticos. Já recebi inúmeras meninas e meninos que a mãe, o pai vem junto e ali aos 16 anos tomando um antidepressivo porque está com depressão e eu fui investigar o porquê da depressão, foi porque acabou uma relação, um namoro. Imagina, na minha época a gente brincava que isso era falta de laço, como os galdérios gostam de falar.

Mas assim, são situações naturais, eu quando adolescente também passei por essas situações é natural de acontecer e hoje já que há uma falta de atenção mesmo familiar, de conversa familiar as pessoas estão cada vez com menos tempo para educar esses adolescentes, essas crianças ou mesmo as pessoas, os adultos estão numa situação de vida tão estressante né uma pressão tão grande e tão intimamente solitárias, postam o tempo todo “felicidade” e tal mas dentro delas, elas são as mais solitárias e mais tristes mesmo, não felizes completas as pessoas não conseguem ser felizes sozinhas, elas precisam expandir isso e compartilhar isso.

Tudo meio que se perdeu, a gente não tem mais parâmetros. O meu parâmetro, a gente tem que entender a evolução do ser humano ou a involução e entender que algo está muito errado nesse caminho. E aí a gente precisa redobrar as atenções com os excessos. Os excessos na nossa vida mas também os excessos, como eu sou médico, os excessos de diagnósticos. Se eu pensar que isso é um sintoma de algo eu tenho que pensar desde a educação, desde as coisas que acontecem mas me proponho a falar pra vocês aqui especificamente sobre como a alimentação pode trazer conseqüências e gerar como sintoma a depressão e como alguns suplementos podem ajudar ou a alimentação mesmo, a correção da alimentação ou alguns suplementos podem ajudar. Pensando que a gente depende muito do nosso intestino para a própria produção de serotonina e para que esses nutrientes que sejam precursores da serotonina consigam chegar ao cérebro por exemplo e os precursores para produção de outros hormônios também, a primeira coisa é pensar em boa alimentação.

A boa alimentação no geral é comer comida de verdade, muito mais do que produto alimentício. O peixe é uma comida de verdade, o brócolis é uma comida de verdade. O pão é um produto, o biscoito é produto, o doce é um produto e propriamente os suplementos são produtos. Então nem todo produto é ruim, mas se eu necessitar de mais produtos do que de alimentos a tendência é não ter um desfecho favorável pra minha saúde. Se o intestino ele é importante para a fabricação de neurotransmissores e de hormônios e de precursores, na assimilação de precursores, quanto menos vegetais eu entregar, menos comida de verdade entregar pro meu corpo mais dificuldade ele vai ter de produzir o que as fábricas, as glândulas no cérebro precisa para produzir.

Eu preciso de combustível para cada uma dessas fábricas e para o cérebro não é diferente..

Encontramos esse conteúdo no Youtube

Vida Plena Sáude